Ontem, fomos surpreendidos com mais um caso de suicídio em Boa Vista.

O que leva uma pessoa a pensar em suicídio? São tantas as perguntas que fizemos nessas horas. A solidão é a pior aliada para um indivíduo que tenta tirar sua própria vida. Quando eu tentei suicidar-me vivia isolado, abraçado com a solidão. Mas eu tinha algo que salvou a minha vida: “O Deus de minha fé”. Hoje tenho quatro livros publicados, dois em parceria como o escritor Eroquês Velho. Hoje quero falar sobre o livro Grito de Alerta: A ideia do livro nasceu durante o “Setembro Amarelo” de 2016. O Eroquês e eu abraçamos a ideia e escrevemos o livro.
: O livro é uma bela e desafiadora proposta literária. Porém, com uma temática definida, abrangente, de domínio público e trazendo dentro dela um forte apelo social. É diferente de contar histórias para as pessoas rirem e acharem engraçado, do que descrever as lágrimas e os sofrimentos dos que em silêncio e solitários, choram. É diferente escrever sobre um tema amplamente debatido pela comunidade científica e por pessoas responsáveis sobre as ações sociais e humanitárias que são empreendidas constantemente. Livro que não pretende discutir a parte médica, nem a parte clínica e, muito menos ainda, a farta literatura científica que existe de maneira comprovada. A pretensão é apresentar os relatos, gentilmente concedidos, e responsavelmente selecionados. Transformamos o livro num Grito de Alerta. Fugimos do lado frio das estatísticas e dos estudos científicos, para relatar o lado humano das pessoas.

O que me deixa muito satisfeito é que o nosso Grito de Alerta tem salvado vidas, inclusive a minha!!! – O livro continua disponível para os leitores de outros estados. O livro será entregue na residência de quem o adquirir ao preço de R$ 35,00. Pedidos no privado ou pelo WhatsApp: 95 98112 3370

O vendedor de cocadas

No primeiro dia o menino venezuelano, vendedor de cocadas, examinou todos os nossos livros, mas deteve-se demoradamente no Aventuras de um desconhecido. Quando falou disse: eu quero ler este! Há nele muitas histórias que se passaram com a minha vida. Havia uma lágrima num dos seus olhos.
No segundo dia ele dirigiu-se diretamente ao seu livro predileto. Manuseou o livro por um longo tempo. Depois acrescentou: Eu gosto dos livros do Jorge Luiz Borges, escritor argentino. Li todos os livros dele. E, continuou: agora eu queria ler este, porém o dinheiro que apuro com as cocadas não me permite adquiri-lo. Aí, o meu coração de menino pobre de outros tempos, falou mais alto: Podes levar o livro. É seu.
Ele ficou sem palavras, mas agora havia duas lágrimas em seu olhar.

COMO VENCER A IDEIA DO SUICÍDIO ATRAVÉS DA ESCRITA

João Euclides Junges
Palestras

A palestra aborda a depressão sob a perspectiva do palestrante, valendo-se de suas experiências enquanto era afetado pela doença. João Euclides narra como instaurou-se o quadro depressivo em sua vida, levando-o a tentar o suicídio por três vezes, e como isso foi revertido.

Depois das tentativas de suicídio, João Euclides encontrou um recomeço. Os livros. Escreveu e publicou quatro títulos. Em parceria com o escritor Eroquês Velho, Euclides escreveu o livro Grito de Alerta que narra a sua passagem pela depressão e também a história de outras pessoas. Para conhecer melhor o assunto, leu bons livros e conversou bastante com pessoas envolvidas com a temática.

Em suas palestras Euclides enfoca o lado humano. A depressão adoece três dimensões humanas: o corpo, a mente e o espirito.

Depressão é uma doença silenciosa que tem vitimado pessoas no mundo inteiro. O Brasil está em quinto lugar no mundo em casos de suicídio. A cada 40 segundos uma pessoa comete suicídio no mundo. Segundo estudos da Organização Social de Saúde, 350 milhões de pessoas sofrem de depressão no mundo.

Ainda temos algumas datas disponíveis para os meses de novembro e dezembro. As entidades que estiverem interessadas na palestra do João Euclides Junges, poderão agendar diretamente com ele.
Contato do João Euclides: (095) 98112 3370 e 98805 4479.

Vivemos numa sociedade em que a prática da leitura não é valorizada como devia.

Dia destes a mãe do João enviou-me a seguinte mensagem: “Meu filho ficou encantado com a sua palestra. Chegou pedindo que eu comprasse todos os seus livros. Ele não leu o livro Aventuras de Um Desconhecido, simplesmente devorou o livro. Sempre que ele passa em frente à casa em que você morava, ele comenta com os colegas: aqui morava o escritor João Euclides Junges”. Que honra!!!

Dois escritores gauchos…

Dois escritores Gaúchos que o destino reuniu em Roraima: Em um país onde a educação não é valorizada e a maioria da população não tem o hábito da leitura. Muitos escritores independentes publicam suas obras na internet, já o Bruno e eu, vamos ao encontro no nosso futuro leitor, no tradicional corpo a corpo, mesmo que para isso tenhamos que pagar alguns micos. Na primeira foto sou eu vendendo livros na chuva com um guarda-chuva improvisado, e na segunda foto o Bruno pegando uma carona na carroceria de uma camionete, rumando em direção ao Roraima Garden Shopping a fim de ministrar uma palestra. Outro dia um amigo nosso fez o seguinte comentário: “Vocês são dois loucos”. (Dois loucos tentando incentivar as pessoas a lerem livros. Dois loucos por livros).