Do que tratam os livros

Do que trata os livros?

Euclides Junges

Vou me valer das palavras do Eroquês, que foi quem prefaciou o livro Aventuras de um desconhecido. Disse ele:
São causos que levam o leitor a pensar nas inconseqüentes travessuras de um menino de interior. O livro provoca a falsa impressão de que a pretensão do autor é mostrar o lado cômico de uma história e de uma época. Parece ser exatamente assim, mas não é. O que verdadeiramente está escrito, não são as enormes gargalhadas que ecoaram nas lonjuras do passado: o que aqui está escrito, descreve o coração da saudade danificado pelo passar dos tempos. É a trajetória de uma vida, que sem querer, retrata a vida de tantos que um dia saíram do lugar de onde não pretendiam sair. É uma história de vivências que, se lidas e interpretadas corretamente, nos remetem aos tempos de outra época e, ao caminhar dela. A vila de Selbach, hoje cidade, tantas e tantas vezes aqui mencionada, receberá, em cada página do livro, a justa homenagem que o menino saudoso sempre quis lhe prestar. Conhecerá a manifestação carinhosa, quase infantil, do mocinho que saiu pelo mundo em busca do seu destino e, nunca mais pôde voltar. Cada uma dessas histórias, e muitas parecem estórias, foram escritas sob a proteção das lembranças e das distâncias. Em cada uma das narrativas, existe a evidente preocupação de relatar fielmente, lugares, fatos e pessoas, que de alguma forma fizeram parte, em um determinado momento, do escritor. Todas as situações por mais engraçadas que pareçam encerram e conduzem a uma lágrima disfarçada de sorriso. As travessuras infantis foram relembradas para relembrar os amigos que foram separados pelos desígnios da vida. Muitos deles lerão o livro, nas varandas do infinito. O escritor teve a competência de retirar tudo que estava armazenado em seu coração e espalhar pelos recantos do seu livro.
Já o livro Caminhando sobre os sonhos é mais um sonho realizado de dois escritores gaúchos, que o destino reuniu em Roraima. Embora pareça ser a continuação do livro Aventuras de um desconhecido, diferencia-se apenas pela maneira diferente de contar velhas e verdadeiras histórias. As brincadeiras dos meninos interioranos amadureceram no contexto de cada história. Os escritores também amadureceram com a trajetória dos livros. Colocaram  o coração a disposição das palavras. São muitos os textos em destaque. Um texto recomendado que encerra o livro com chave de ouro é o texto “Na presença das ausências”, que além de relatar a realidade dos fatos e das personalidades, faz com que tudo e todos se confundam com o saudosismo e com a ficção. O livro tem o poder de tocar nossa alma e despertar sentimentos, como no texto, Um morador de rua, em que um cachorro o Fox é o protagonista. O texto do Fox é o que melhor expressa o  lado romancista dos escritores. Infelizmente, perdemos o Fox. A morte chegou silenciosa, deixou, porém, uma reflexão: As pessoas passam.Tudopassa. Os animais também passam. Homenagem às mulheres é uma singela homenagem aos seres que engrandecem a nossa vida. Podemos enaltecer também o prefácio maravilhoso do Pedro Henrique. Os livros têm o poder de tocar a nossa alma e despertar sentimentos que, às vezes, nem mesmo sabemos que possuímos. Os nossos amigos, e são muitos, estão construindo a nossa caminhada literária.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *