O vendedor de cocadas

No primeiro dia o menino venezuelano, vendedor de cocadas, examinou todos os nossos livros, mas deteve-se demoradamente no Aventuras de um desconhecido. Quando falou disse: eu quero ler este! Há nele muitas histórias que se passaram com a minha vida. Havia uma lágrima num dos seus olhos.
No segundo dia ele dirigiu-se diretamente ao seu livro predileto. Manuseou o livro por um longo tempo. Depois acrescentou: Eu gosto dos livros do Jorge Luiz Borges, escritor argentino. Li todos os livros dele. E, continuou: agora eu queria ler este, porém o dinheiro que apuro com as cocadas não me permite adquiri-lo. Aí, o meu coração de menino pobre de outros tempos, falou mais alto: Podes levar o livro. É seu.
Ele ficou sem palavras, mas agora havia duas lágrimas em seu olhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *