O MEU SETEMBRO AMARELO NUNCA TERMINA

Hoje a nossa palestra foi na Escola Marias das Dores Brasil. Obrigado a todos pela calorosa recepção.
O que leva uma pessoa a pensar em suicídio? Durante muitos anos a morte ou simplesmente o fato de comentar sobre o tema era quase um tabu. São diversas as causas que levam alguém a cometer suicídio. São tantas as perguntas que fazemos nessas horas. Quais são as causas que motivaram e como isso aconteceu? Ninguém está livre de cometer este ato extremo. O suicídio está entre as dez causas de morte em todo o mundo. Normalmente não existe prevenção contra o suicídio, a pessoa que realmente deseja se matar não fala, não sai por aí dizendo aos quatro ventos que irá matar-se. Foi o meu caso. Nunca falei para ninguém de minhas reais intenções.
A solidão é a pior aliada para um indivíduo que deseja tirar sua própria vida. Quando tentei suicidar-me, vivia isolado, abraçado com a solidão. Digo isto porque as circunstâncias da vida me levaram a viver em completa solidão. Sempre achei, como muitos acham, que depressão é nada mais, nada menos, que uma grande “frescura”. Embora muita gente acredite nisso, a verdade é que a depressão é uma doença séria e silenciosa que pode destruir o indivíduo lentamente. Minha solidão, eu acredito, que seja também, a de muitos pode ser explicada como um retiro involuntário que o destino me impôs. Eu me perdi de mim mesmo e fiquei procurando em vão pelo meu eu. Existem, ainda, muitas outras definições, que não me cabem comentar, sobre essa doença, tão presente nos dias de hoje. No meu caso ela foi marcada como uma densa nuvem de tristeza, que cobriu a minha vida sem uma razão aparente. Nuvem que iria perdurar por um longo tempo. Um dia a minha nuvem foi embora e levou com ela as minhas amarguras e os meus desencantos. Hoje, curado da depressão eu me faço uma pergunta silenciosa: porque o suicídio?
Obrigado meu Pai Celestial por estar ao meu lado, quando eu mais precisei. “Suicídio nunca mais”. (O texto na integra está no livro Grito de Alerta)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *